Cedência de Direitos Religiosos

A Comunidade Portuguesa do Candomblé Yorùbá (CPCY) não visa o controlo das atividades sacerdotais em Portugal, não interferindo com as práticas de culto nos demais terreiros. No entanto, enquanto representante legal do Candomblé, reconhecida pelo Ministério da Justiça, a CPCY dispõe-se a trabalhar com os terreiros que assim o entendam. Dessa forma, através de protocolos de integração no quadro da CPCY cedem-se direitos religiosos que de outra forma não seriam possíveis adquirir, garantindo proteção jurídica ao abrigo da lei religiosa portuguesa.